FUNCIONÁRIOS(AS) DA MEAC E HUWC/UFC AMEAÇADOS DE DEMISSÃO ENTRAM EM GREVE!

Sameac 01-10-15 greve (11)

          Os funcionários(as) do Hospital Universitário e da Maternidade Escola da UFC ameaçados de demissão em massa, decidem resistir e iniciar uma greve por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira, 05 de outubro.

          Essa decisão deveu-se à intransigência desta Universidade que,  juntamente com a EBSERH,  anunciaram um calendário de demissões que previa 30% de trabalhadores da Sameac demitidos em setembro, outros 30% em outubro, mais 30% em novembro e os 10% restantes em dezembro, totalizando 100% dos trabalhadores, muitos dos quais com  mais de 20 anos de serviço, prestando um inestimável atendimento aos usuários daquelas unidades hospitalares.

          Desde o mês de março que se criou um impasse com a decisão do governo Dilma, através do MEC de publicar a portaria determinando a demissão de cerca de 700 trabalhadores da Sociedade de Assistência à Maternidade Escola Assis Chateaubriand, Sameac, que prestam serviço no Hospital Universitário Walter Cantídio e na Maternidade Escola Assis Chateaubriand bem como de milhares de trabalhadores de várias entidades congêneres em todo o Brasil. Tal decisão se deve à decisão pelo governo Lula de criar essa empresa EBSERH para administrar os hospitais públicos.

          Vale ressaltar que a SAMEAC vem prestando esse serviço há 51 anos através de contratos com a UFC. Tais contratos se encerrariam em julho e agosto passados, prazo para que houvesse as demissões, mas a partir da luta dos companheiros através do MDTS – Movimento em Defesa dos trabalhadores da SAMEAC e pela própria necessidade do funcionamento das referidas unidades hospitalares, foram prorrogados por seis meses. Mas a reivindicação da categoria é de que os contratos sejam renovados pelo menos por mais cinco anos, como aconteceu no Paraná, onde trabalhadores da Fundação da Universidade Federal do Paraná viviam uma situação semelhante.

         Em virtude da situação de maior tensionamento que se instalou, na assembleia para avaliar a situação a categoria aprovou por unanimidade a decisão de entrar em greve a partir de segunda-feira, 05/10. Às 8 horas da manhã, está marcado um ato. A concentração será em frente à Maternidade Escola.

         Além da nossa solidariedade manifestamos aqui a nossa indignação e protesto pela atitude absurda da Universidade quando os companheiros(as) ocuparam o HUWC tentando um diálogo com o Superintendente da EBSERH, Dr. Luciano Bezerra Moreira. Ao invés de diálogo, mandaram chamar o Procurador do Ministério Público Federal, Dr. Marcelo Mendes, que se prestou ao papel de comparecer ao Hospital das Clínicas com a Polícia Federal para tentar intimidar os trabalhadores induzindo-os a desistir da luta. Que triste papel desse Procurador!

            Abaixo a demissão, não somos descartáveis, protestam os companheiros(as)!

           Na segunda, a partir das 8h haverá um ato de protesto em frente à Maternidade Escola.

           VAMOS LÁ MANIFESTAR A NOSSA SOLIDARIEDADE A ESSES COMPANHEIROS(AS)!!!

           NÃO PODEMOS ACEITAR ESSA BARBARIDADE!

NESTA SEGUNDA, 05/10, A PARTIR DAS 8H, TODOS(AS) À MATERNIDADE ESCOLA!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *