CARAVANA A PARIS (COP 21) – Carta Aberta aos amigos e amigas do Crítica Radical

           Amigos e amigas,

          Na Conferência da ONU sobre o Clima (COP 21)*, em Paris, teremos a oportunidade de estreitar relações com manifestantes que também não aceitam a extinção da humanidade e do planeta.

          Além disso, poderemos contatar pessoas que realizam novas tentativas para a produção da vida autônoma em relação ao mercado e ao estado.

          Ademais, teremos a oportunidade histórica de (re)encontrar amigos(as) que também almejam a supressão das relações patriarcais capitalistas buscando a construção de um movimento social transnacional emancipatório fundamentado na crítica radical da crise categorial.

          Nesse sentido, além de apresentar um projeto inovador para a humanidade e o planeta, vamos convidar palestrantes/participantes para um Fórum que se realizará em Fortaleza e Rio de Janeiro em março de 2016.

          Com esse mesmo objetivo iniciamos a implantação do Projeto Brotando a Emancipação, num sítio próximo de Fortaleza/Ceará, lutando para edificarmos uma nova relação social, humana e com a natureza.

          É com esse mesmo espírito que estamos prestando nossa solidariedade efetiva aos companheiros(as) do Hospital das Clínicas e Maternidade Escola da UFC ameaçados de demissão. Esta solidariedade se estende a todos os trabalhadores em luta. Uma luta que tem possibilitado a gestação de uma dialética inovadora entre a imanência e a transcendência ao capitalismo.

          Há muitos anos aninhamos o sonho da emancipação humana. Recentemente inauguramos, enfrentando enormes dificuldades, programas pela Web TV e rádio comunitária para contribuir na transformação coletiva desse sonho em realidade.

          Colabore para que essa nova ideia com sua práxis correspondente cheguem a Paris. Ajude-nos a superar os sérios obstáculos financeiros para a viagem. Temos certeza que vamos contar novamente com você. Várias iniciativas estão sendo tomadas , como feijoada, campanha pela internet, contatos com artistas para shows, etc.

          Nesse novo período histórico que se abre, estamos lutando para substituir o cântico morto das mercadorias e suas paixões pelo cantar pleno de uma nova vida emancipada para a humanidade e o planeta.

          Afinal, o sonho que não se sonha só, vira realidade!

          Abraço!

          Crítica Radical

            __________________________________________

        FEIJOADA A LA PARIS 2

          Feijoada, conversa boa, música e muita alegria. Um encontro de pessoas e ideias criativas para pensarmos e construirmos uma alternativa para superar a extinção da humanidade e do planeta. Essa é a proposta que queremos levar a Paris na 21ª Conferência Mundial da ONU sobre o Clima (30/11 a 12/12).

          Com a sua participação, você colabora e se delicia com uma gostosa feijoada cujo ingrediente principal é uma

vida plena de sentido!

                                                                                                                                                         ADESÃO: 1O,OO

          Local: Espaço Cultural do SINTAF – 14/11/2015 (sábado) – A partir das 11h
Rua Padre Mororó, 952 – Centro (entre Guilherme Rocha e Liberato Barroso)
          Responsável: Crítica Radical (85) 30812956, (85) 985166253

______________________________________________________________________________________________

 

                 *A 21ª Conferência Mundial do Clima (COP 21) será realizada  de 30 de novembro a 12 de dezembro de 2015, em Paris e terá como principal objetivo costurar um novo acordo entre os países para diminuir a emissão de gases de efeito estufa. Além dos encontros e manifestações  que acontecerão em Paris, está sendo convocada também uma MOBILIZAÇÃO PELO CLIMA em todo o mundo para o dia 29 de novembro. 

                 É uma oportunidade ímpar para levarmos o nosso Grito pela Emancipação! Daí a iniciativa de organizarmos as JORNADAS EMANCIPATÓRIAS, com destaque para a preparação da CARAVANA A PARIS por ocasião da Conferência, como oportunidade de fortalecer a ideia da construção de um movimento para superar a extinção da humanidade e do planeta.

                 Foram formadas algumas comissões para encaminhamentos: de articulação, de eventos e finanças e de comunicação.

                 Decidimos também fazer uma programação de estudos coletivos às sextas-feiras, iniciando com o livro A Sexta Extinção, de Elizabeth Kolbert.

A Sexta Extinção

                 A sistemática do estudo está a apresentação dos capítulos do livro por vários companheiros(as) e em seguida o debate.

                  Participe!

30/10 – sexta-feira – 15h – Fac. de Arquitetura da UFC

_______________________________________________

SINOPSE DO LIVRO A SEXTA EXTINÇÃO

 Ao longo dos últimos quinhentos milhões de anos, o mundo passou por cinco brutais extinções em massa, nas quais sua biodiversidade caiu de maneira abrupta. Dessas, a mais conhecida foi a que eliminou, entre outros seres vivos, os dinossauros, quando um asteroide colidiu com o planeta há 65 milhões de anos. Atualmente, vem s endo monitorada a sexta extinção, que tem potencial para ser a mais devastadora da história da Terra. Mas, dessa vez, a causa não é um asteroide ou algo semelhante. Nós somos a causa.

Em A sexta extinção, a jornalista Elizabeth Kolbert explica de que maneira e por que o ser humano alterou a vida no planeta como absolutamente nenhuma espécie o fizera até hoje. Para isso, a autora lança mão de trabalhos de dezenas de cientistas nas searas mais diversas e vai aos lugares mais remotos em busca de respostas: de ilhas quase inacessíveis na Islândia até a vastidão da cordilheira dos Andes.

Neste livro, Kolbert apresenta ao leitor doze espécies — algumas desaparecidas, outras em vias de extinção — e, partir daí, chega à conclusão assustadora de que uma quantidade inigualável de animais está desaparecendo bem diante de nossos olhos. Ao mesmo tempo, a jornalista traça um panorama de como a extinção tem sido entendida pelo homem nos últimos séculos, desde os primeiros artigos sobre o tema, do naturalista francês Georges Cuvier, passando por Charles Lyell e Charles Darwin, até os dias de hoje. Kolbert mostra que a sexta extinção corre o risco de ser o legado final da humanidade e nos convida a repensar uma questão fundamental: o que significa ser humano?

FUNCIONÁRIOS(AS) DA MEAC E HUWC/UFC AMEAÇADOS DE DEMISSÃO ENTRAM EM GREVE!

Sameac 01-10-15 greve (11)

          Os funcionários(as) do Hospital Universitário e da Maternidade Escola da UFC ameaçados de demissão em massa, decidem resistir e iniciar uma greve por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira, 05 de outubro.

          Essa decisão deveu-se à intransigência desta Universidade que,  juntamente com a EBSERH,  anunciaram um calendário de demissões que previa 30% de trabalhadores da Sameac demitidos em setembro, outros 30% em outubro, mais 30% em novembro e os 10% restantes em dezembro, totalizando 100% dos trabalhadores, muitos dos quais com  mais de 20 anos de serviço, prestando um inestimável atendimento aos usuários daquelas unidades hospitalares.

          Desde o mês de março que se criou um impasse com a decisão do governo Dilma, através do MEC de publicar a portaria determinando a demissão de cerca de 700 trabalhadores da Sociedade de Assistência à Maternidade Escola Assis Chateaubriand, Sameac, que prestam serviço no Hospital Universitário Walter Cantídio e na Maternidade Escola Assis Chateaubriand bem como de milhares de trabalhadores de várias entidades congêneres em todo o Brasil. Tal decisão se deve à decisão pelo governo Lula de criar essa empresa EBSERH para administrar os hospitais públicos.

          Vale ressaltar que a SAMEAC vem prestando esse serviço há 51 anos através de contratos com a UFC. Tais contratos se encerrariam em julho e agosto passados, prazo para que houvesse as demissões, mas a partir da luta dos companheiros através do MDTS – Movimento em Defesa dos trabalhadores da SAMEAC e pela própria necessidade do funcionamento das referidas unidades hospitalares, foram prorrogados por seis meses. Mas a reivindicação da categoria é de que os contratos sejam renovados pelo menos por mais cinco anos, como aconteceu no Paraná, onde trabalhadores da Fundação da Universidade Federal do Paraná viviam uma situação semelhante.

         Em virtude da situação de maior tensionamento que se instalou, na assembleia para avaliar a situação a categoria aprovou por unanimidade a decisão de entrar em greve a partir de segunda-feira, 05/10. Às 8 horas da manhã, está marcado um ato. A concentração será em frente à Maternidade Escola.

         Além da nossa solidariedade manifestamos aqui a nossa indignação e protesto pela atitude absurda da Universidade quando os companheiros(as) ocuparam o HUWC tentando um diálogo com o Superintendente da EBSERH, Dr. Luciano Bezerra Moreira. Ao invés de diálogo, mandaram chamar o Procurador do Ministério Público Federal, Dr. Marcelo Mendes, que se prestou ao papel de comparecer ao Hospital das Clínicas com a Polícia Federal para tentar intimidar os trabalhadores induzindo-os a desistir da luta. Que triste papel desse Procurador!

            Abaixo a demissão, não somos descartáveis, protestam os companheiros(as)!

           Na segunda, a partir das 8h haverá um ato de protesto em frente à Maternidade Escola.

           VAMOS LÁ MANIFESTAR A NOSSA SOLIDARIEDADE A ESSES COMPANHEIROS(AS)!!!

           NÃO PODEMOS ACEITAR ESSA BARBARIDADE!

NESTA SEGUNDA, 05/10, A PARTIR DAS 8H, TODOS(AS) À MATERNIDADE ESCOLA!