PROGRAMA CRÍTICA RADICAL AO VIVO RETOMA SUAS ATIVIDADES – UMA OUTRA HISTÓRIA COMEÇA!


Um impasse se apoderou da sociedade atual. A extraordinária coincidência entre a vitória do capitalismo e sua crise final impõe a urgência de um projeto alternativo. Esse sistema que derrotou todos os seus obstáculos, inclusive revolucionários, se depara agora com sua fronteira histórica. Irrompe-se a brecha para uma alternativa ao capitalismo.

Sem enfrentar esse desafio as novas idéias conspirativas ficam quase paralisadas. As energias utópicas apresentam-se como já esgotadas. E a esperança se perde porque não se pensa e não se constrói a resposta emancipatória para ultrapassar o patriarcado capitalista.

A apresentação de uma proposta que enfrente e supere esses desafios deveria ser motivo de júbilo em toda a terra. Ainda mais agora que a vacina para derrotar o vírus está se aproximando. No entanto, a humanidade que não conseguiu até aqui refletir e realizar sua saída do moderno sistema fetichista patriarcal produtor de mercadorias, ainda não se volta para a oportunidade histórica de conquistar uma nova relação social, uma nova sociedade.

Evidentemente que não conquistaremos a emancipação humana e ambiental sem superarmos esse impasse. Sem apreciarmos crítica e radicalmente os resultados de nossas lutas e embates. Sem ampliar e elevar a bela luta contra o racismo e pela democracia transcendendo-a de sua imanência a essa seita louca e suicida na qual se transformou o capitalismo que Bolsonaro, Trump e Cia querem sustentar, o que teria como conseqüência a terra inabitável e a inutilidade do ser humano. Sem compreendermos que o capitalismo produziu não apenas mercadorias para os seres humanos, mas seres humanos para as mercadorias.  Sem rompermos com o invólucro que daí advém e nos mantém aprisionados(as) ao fetichismo. Sem superarmos a interpretação de que as categorias fundantes do capitalismo são naturais, eternas e transhistóricas. Sem negarmos a trivial metafísica do dinheiro. Sem historicizarmos o capitalismo aparentemente a-histórico. Sem percebermos que esse sistema após devastar o mundo passou a implementar seu próprio colapso, ou seja, a se auto-destruir, escancarando o seu limite interno (econômico) e externo (ecológico) a toda a humanidade. Sem nos dedicarmos a compreender que as revoluções tecnocientíficas, ao tornarem supérflua a força de trabalho, conduziram o desenvolvimento capitalista ao seu limite absoluto. Sem dimensionarmos que a história de todas as sociedades não se resume à história da luta de classes, mas é a história das relações fetichistas.

Em razão disso, o Crítica Radical entra agora num novo período. Dá um salto nos ensaios emancipatórios anteriores. Ousa enfrentar e realizar novas práticas que contribuam para a substituição do capitalismo estabelecendo novas dimensões para a relação entre teoria e prática emancipatórias. Ainda mais agora que os(as) críticos(as) radicais do valor-dissociação de todo o mundo conjugam seus esforços para o Seminário e Encontro Transnacionais Emancipatórios que, entre outras questões importantes, abordarão a construção de um movimento transnacional emancipatório. Preparemo-nos, portanto, para uma nova vida. Para uma outra história.

Amigos e amigas

Estes e demais elementos aqui esboçados estarão sendo retomados no Programa Crítica Radical que retorna na próxima segunda, às 16 horas às suas atividades. Queremos convocar a humanidade para uma caminhada consciente, condição incontornável, sine qua non, na construção de um projeto alternativo.

Não perca!

Um abraço!

PROGRAMA CRÍTICA RADICAL AO VIVO RETOMA SUAS ATIVIDADES

15/JUNHO/2020 – SEGUNDA – 16h –

FACEBOOK, YOUTUBE E INSTAGRAN DO CRÍTICA

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *